sábado, 22 de julho de 2017




Apostei naquele sorriso 
não era todo pra mim 
Não vi as curvas do caminho 
E nem nossos laços virando nó. 

Não respeitei a garganta seca 
O frio na espinha 
Distorci as palavras 
Enlouqueci perto do fim.

Dispara meu coração 
Quando percebo 
Que sem suas mãos 
A folhear meu corpo 
Sou apenas um livro 
Lido e esquecido. 

Dentro de mim 
Escritas nas páginas 
De um ardente fascínio 
Estão as horas feitas de amor.

As horas em que fizemos amor 
E as horas que nos amaram 
Antes do tempo, depois do amor 
Agora, dispara meu coração 
Eu lhe peço, diz para meu coração: “para!” 

De uma vez por todas 
Pare de ficar longe de mim 
Pare de ficar perto do "nós" 
Você é tão singular, e eu todo plural. 

Rasgue as noites vazias 
Em que ficamos separados 
Nunca mais me deixe só. 

Apostei, mesmo assim 
Que você voltaria 
Apostei, mas é o fim.

Eduardo Soares e Patrícia Rocha

Imagem: Internet

sexta-feira, 26 de maio de 2017



É cheiro de mata
De pés cansados
Do que germinou 
Do que ainda vou colher

É vida que sopra
E balança os pensamentos

É sol que aquece feito abraço 
É chuva que molha feridas 
São lágrimas de mar, sal
É aqui e ali
É o amor que vai florir
É semente brotando

Somos nós nascendo aqui.

Patrícia Rocha


Imagem: Pinterest
 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo