quinta-feira, 7 de julho de 2011

Nunca soube o que fazer...

"Nunca soube o que fazer
com os espaços que ficam
depois que alguém vai embora

uma dúvida insiste
e de tanto, o meu tentar desiste
de trocar a ausência
por qualquer coisa que fira menos:
nada para repor
nada para suprir
nada que realmente comportasse
o encanto de algo que ficou
para trás.
"

Cáh Morandi


8 Estão no mundo da lua:

Zil Mar disse...

nossa..que lindOOOO!

existe uma verdade tão grande nessa poesia...

bjos e meu carinho...

Zil

AnnE Romanini disse...

Linda poesia.
Bom fianl de semana querida!!
bjãooo

Patrícia Rocha disse...

Zil

Um grande beijo carinhoso =*

Patrícia Rocha disse...

Anne

Bom final de semana para ti =)

Beijos estrelados =**

Lufe disse...

Eu tenho comigo que essa dor da ausência é causada não pela falta do outro, mas do pedaço de nos que entregamos a ele. E é dele que sentimos falta. É fato que o amor que doa, doa. Mas o que é o amor sem doar?

bjoca

Patrícia Rocha disse...

Ai Lufe! É nessa eterna doação que doe...
E não vejo outra forma de amar sem se doar!

Beijos mil para ti!=***

Ventura Picasso disse...

Amar é dom;
"Quem ama um cesto...",
se deixar o espaço vago!
encontra um cento. rsrsrs
bjs

Michele disse...

A Cáh é perfeita, catarinense (risos), e tem uma desenvoltura excelente com os sentimentos.

Adoro a escrita dela.

Beijo amiga, ótimo fim de semana,
Mih

Postar um comentário

 
©Suzanne Woolcott sw3740 Tema diseñado por: compartidisimo